segunda-feira, 10 de julho de 2017

Novas fics...

Olá pessoal...
Para quem quiser continuar lendo as adaptações de fic entre no nosso novo blog Fanfics Zanessa lá tem o link para todas as fic já adaptadas e estou posta do lá algumas shortfic (fanfics mais curtas!)
Beijooos...
Espero vcs lá!!!

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Capítulo 29: Último Capítulo

Ele abriu a porta do quarto com um chute e abaixou-a gentilmente sobre a cama. Então, ela viu que os olhos azuis também estavam marejados.
— Zac? — Vanessa tocou-lhe o rosto no momento em que ele se ajoelhou acima dela.
— Você me ama? — perguntou ele sem nenhuma arrogância, parecendo totalmente vulnerável.
— Eu o amo com todo meu coração — ela o assegurou calmamente.
Zac fechou os olhos e suspirou aliviado.
— Você é meu mundo, Nessa — disse ele, a voz tremendo de emoção. — Eu a amarei até o dia de minha morte. Você roubou meu coração, e agora é seu para sempre. — Ele beijou-lhe as lágrimas do rosto. — Saber que eu a amo a faz chorar?
— Somente porque quero que você me ame por tanto tempo que não posso acreditar que isso aconteceu — replicou ela, trêmula.
— Acredite. — Zac pegou-lhe a mão e levou-a ao seu coração, de modo que ela pudesse sentir as batidas aceleradas. — O mês que passamos em Mykonos foi a época mais feliz de minha vida, e cada dia meus sentimentos por você cresceram mais. Agora que sabe que eu a amo com todo meu coração e alma, me dará a honra de se casar comigo, ágape mou?
Vanessa viu amor nos olhos dele, e finalmente começou a ter esperança de um futuro.
— Ashley? — perguntou ela ansiosamente.
— Ashley sabe como me sinto e nos dá sua benção. Na verdade, falou que, se você não aceitasse meu pedido de casamento, ela pegaria o próximo avião para Inglaterra a fim de tentar persuadi-la. — Zac sorriu. — Ashley está ansiosa para conhecê-la de verdade.
Só restava uma dúvida, reconheceu Vanessa, mordiscando o lábio.
— Eu o amo e me casaria com você. Mas tenho uma confissão a fazer. Eu menti, Zac. — Ele prendeu-lhe o olhar, e ela respirou profundamente. — Quando me perguntou se eu estava grávida, eu neguei. Não queria que você voltasse para mim por dever.
A expressão de Zac era inescrutável.
— V?
— Eu vou ter um bebê seu — declarou ela. — Você está... satisfeito? — O sorriso que ele abriu o fazia parecer quase infantil, e seu coração se inundou de amor por ele.
— Satisfeito é uma palavra muito fraca para expressar como me sinto ágape. Radiante seria mais adequado... e grato por ter encontrado você, pedhaki mou. E, acima de tudo, determinado a jamais lhe dar razão para duvidar de meu amor por você e por nosso bebê.
Ele abaixou a cabeça e clamou-lhe a boca num beijo que falava de paixão, desejo e de um amor que duraria uma vida inteira. Então, eles fizeram amor de maneira doce e intensa, até que estavam saciados um nos braços do outro, seus corações batendo em uníssono.
__________
Eles se casaram seis semanas depois, na igreja onde Vanessa tinha sido batizada, e fizeram uma recepção para família e amigos numa grande marquise sobre o gramado de Carlton House.
Ashley viajou da América, acompanhada por um médico alto e bonito, revelando que Christopher French a pedira em casamento.
— Nós duas nos apaixonamos pelo homem certo desta vez — murmurou ela para Vanessa, antes que os noivos partissem em lua de mel para Antigua.
Vanessa se sentira nervosa sobre conhecer a irmã de Zac, mas Ashley logo a assegurara de que não culpava ninguém, exceto o ex-marido, pelo fracasso de seu casamento.
— Você acha que Zac aprova Chris? — perguntou Ashley, antes que Vanessa entrasse na limusine ao lado de seu novo marido.
— Ele gosta muito do Christopher — disse Vanessa. — Mas não acredito que você quer que eu seja sua madrinha. Meu obstetra já disse que meu bebê é maior do que a média. Vou parecer uma baleia daqui seis meses.
— O que você estava cochichando com Ash? — perguntou Zac quando o carro finalmente partiu.
Vanessa acenou para os pais uma última vez e virou-se com um sorriso.
— Ela queria saber se você aprova Christopher. Eu disse que sim.
— Acho que ele a fará feliz. — Zac levou a mão de Vanessa à boca e pressionou os lábios na aliança de ouro, ao lado do solitário que lhe dera de noivado. — E eu passarei o resto da vida fazendo você feliz — declarou seriamente. — Amo você.
Ela o beijou.
— E eu amo você. Para sempre.

Eles passaram um mês maravilhoso em Antigua, antes de retornarem à casa magnífica de Zac no melhor bairro de Atenas. Os pais de Vanessa eram visitantes frequentes, e Zac se recusava a ficar fora de casa por mais de uma noite, delegando viagens a negócios aos seus executivos.
No fim da gravidez, Vanessa estava tão grande quanto previra.
— Você não parece uma baleia. É minha esposa linda e muito grávida — disse Zac quando ela lamentou a cintura expandida. — E eu a amo mais do que palavras podem expressar.
Ele repetiu tais palavras diversas vezes quando ela entrou em trabalho de parto uma semana antes do tempo, e disse novamente, com a voz embargada pela emoção, no momento em que Vanessa deu à luz o filho deles. Eles o chamaram de Pietro. E, enquanto ela segurava seu recém-nascido junto ao peito e acariciava os cabelinhos escuros, Zac deu-lhe um beijo demorado.
— Você nunca mais vai passar por isso — murmurou ele, incapaz de esquecer a dor que vira no rosto de sua amada ao dar a luz. — Eu teria dado tudo que possuo se pudesse ter sofrido em seu lugar.
— Não foi tão ruim assim — Vanessa o tranquilizou, suas dores de parto esquecidas enquanto olhava para a nova vida preciosa em seus braços. — Eu sempre quis um irmão ou irmã enquanto crescia, e não quero que Pietro seja filho único. Três filhos é um número bom para uma família, não acha?
Zac afastou-lhe uma mecha de cabelos úmidos do rosto e fechou os olhos contra a emoção que o envolvia.
— Acho que você é incrível, kardia mou, e não há palavras para expressar o quanto eu a amo. Sabe que eu concordaria com meia dúzia de filhos se este fosse seu desejo. Mas por enquanto temos Pietro, e compartilhamos um amor que durará para sempre. Eu não poderia pedir mais, querida, porque você é tudo.

FIM

Resultado de imagem para noivos gif tumblr

Hello girls....
E para comemorar o Valentine's Day (mesmo que nos EUA) e bem como o dia de São Valentim nada melhor que um belo capítulo desses nao concordam?
Espero que tenham gostado da fic...
Comentem o que acharam deste último capitulo...
Gatas, por enquanto nao postarei outra pois irei fazer meu estágio e o tempo será bem apertado mas, prometo que farei de tudo pra voltar com outra fic no fim de junho ou no inicio de julho ok?
Entao por esse periodo deem uma passadinha por aqui pois caso poste uma outra fic avisarei aqui ou nas redes sociais do Zanessa Love Brasil!
Muito obrigada pelos comentários
E até qualquer dia....
Beijoees 😘😘😘❤

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Capítulo 28 : Penúltimo Capítulo

— Entendo — replicou ele após um longo silêncio. — Então vamos ao segundo motivo de minha visita... que é lhe devolver isto. — Zac tirou o cheque que ela lhe enviara do bolso e estendeu-lhe.
— Guarde-o — disse Vanessa com firmeza. — Sei que você depositou o dinheiro pela compra da Hudgens Gems na conta de meu pai no dia seguinte que parti de Mykonos, mas agora vou devolver cada centavo. Minha família não está mais em débito com você.
Ele rasgou o cheque em pedacinhos.
— Logo que a conheci, acreditei que você tinha seduzido o marido de minha irmã tão cruelmente quanto a amante de meu pai destruiu o casamento de meus pais. Eu a comparei a Michelle, e transferi o ódio que sentia por ela para você.
Vanessa tremeu com a honestidade brutal, fazendo Zac franzir o cenho.
— Você deveria trocar estas roupas molhadas — disse ele. Quando ela meneou a cabeça, Zac removeu o paletó e colocou-o ao redor dos ombros dela. — Enquanto estávamos em Mykonos, eu estava muito envolvido com as negociações para comprar o Hotel Ambassador em Londres — murmurou. — E a festa de Artemis se aproximava. Vantage Investments é uma companhia subsidiária da Efron Enterprises, mas funciona como uma companhia independente Depois que instrui Steven Holt a comprar a Hudgens Gems, não tive razão para contatá-lo novamente. Eu não sabia, até a noite que você partiu de Mykonos, que a esposa de Steven tinha entrado em trabalho de parto prematuro um dia depois que falei com ele. O filho deles nasceu 12 semanas mais cedo, e Steven mal deixou o hospital desde o nascimento. O bebê continua sob cuidados especiais, mas está bem agora. Talvez compreensivamente, Steven esqueceu-se de passar o recado para Mark Lloyd sobre minha mudança de decisão sobre a compra da Hudgens Gems. Assim que descobri o que tinha acontecido, transferi o dinheiro de minha conta pessoal para a conta bancária de seu pai.
Sem a intervenção de Zac, seus pais teriam perdido a casa, reconheceu Vanessa, sentindo-se culpada por tê-lo chamado de mentiroso.
Ele se levantou e foi até a janela, olhando a chuva bater contra o vidro.
— Para ser honesto, sabia quase desde o começo que você não era nada como Michelle... ou a mulher promíscua retratada por alguns jornais. Você era gentil e amorosa. — Ele olhou para Charlie, que estava aninhado numa poltrona como uma almofada cor de gengibre. — Recolhe animais abandonados. Eu queria detestá-la, mas descobri que gosto de estar a seu lado. Quis segui-la na noite em que você partiu, mas não pude deixar Ana lidar sozinha com a festa. Fiquei furioso por, apesar de o mês que passamos juntos ter sido o mais feliz de minha vida, você claramente não se sentir da mesma maneira. Não confiou em mim. Na manhã seguinte, descobri que o dano no meu hotel de St Lucia era mais sério do que eu imaginava, e que diversos funcionários meus haviam sido feridos na tempestade. Não tive escolha senão voar imediatamente para o Caribe.
Vanessa não podia pensar em nada para dizer enquanto absorvia as palavras, e um silêncio tenso se instalou antes que Zac falasse novamente.
— Lamento pelo jeito que a tratei logo que nos conhecemos. Eu a culpei por ter machucado Ashley, e, em meu desejo por vingança, roubei sua inocência.
A expressão triste nos olhos azuis cortou o coração de Vanessa, e, mesmo em meio a seu sofrimento, queria absolvê-lo.
— Nós não podíamos negar a química sexual entre nós — disse ela suavemente. — Eu queria que você fizesse amor comigo.
Vanessa se levantou e estendeu o paletó dele, rezando para que Zac entendesse a dica e fosse embora, mas ele se aproximou e jogou o paletó sobre o sofá.
— Eu a desonrei — declarou ele. — E a única maneira de reparar isso é me casando com você.
— O quê? — Vanessa estava boquiaberta e temeu que pudesse desmaiar de novo quando a sala pareceu girar.
Zac falava sério, percebeu estudando-lhe o rosto e tentando entender aquilo. Ele era um homem honrável e um grego tradicional. Seu auto-respeito fora danificado ao perceber como agira erradamente com ela. Mas casamento! Aquilo era levar o arrependimento longe demais.
— Eu não quero me casar com você — murmurou ela.
As palavras foram como um golpe no coração de Zac. Era a mesma dor que tinha experimentado quando Sami rompera o noivado, revelando estar dormindo com Nick; a mesma dor de quando vira Ashley pela primeira vez depois do acidente, tão frágil, atada a tubos e máquinas que mantinham sua vida.
— Deve saber que eu nunca faria nada para magoá-la — disse ele. — E sou um homem rico... nada lhe faltaria.
Vanessa meneou a cabeça.
— Mas eu iria querer algo que você não pode me dar, Zac — sussurrou ela. — Iria querer amor. Não me importo com sua riqueza ou com as coisas materiais que pode me dar. Eu me casaria com você mesmo se fosse um pastor de cabras em Agistri, mas se você me amasse tanto quanto eu o amo.
Lágrimas nublaram sua visão, e ela apenas sentiu quando braços fortes se fecharam a seu redor, então gritou no momento em que as paredes giraram novamente enquanto ele a erguia e a carregava ao longo do corredor.
— Zac, o que você está fazendo? — perguntou Vanessa, dado vazão às lágrimas agora.


Hello girls....
Como eu prometi aqui está o penúltimo capítulo...
Ate que enfim a Vanessa confessou que ama o Zac ne!?
O que será que o Zac vai fazer após essa descoberta? Será que ele se declara pra ela tb?
Comentem ai....
PS: obrigada pelas felicitações!
Beijoooos 😘
Até mais...

Capítulo 27

No momento em que Vanessa chegou ao aeroporto, tinha perdido o último avião para Londres, mas estava tão desesperada para sair de Mykonos que pegou o voo seguinte para Atenas e, após uma noite em claro no terminal, conseguiu um lugar no primeiro voo para Gatwick na manhã seguinte. Quando o táxi atravessou os portões de Carlton House, imaginou que veria carros oficiais na propriedade, mas, para seu alívio, somente o carro do seu pai estava lá.
— Eles ainda não chegaram, então? — murmurou ela quando sua mãe abriu a porta, chorando ao avistá-la. — Onde está Hobson?
— Desempacotando — replicou Gina, secando os olhos.
— Desempacotando? Mas... pensei que vocês tinham de sair até o meio-dia?
— Não. — Gina balançou a cabeça, parecendo muito confusa. — Nós poderemos ficar. Aparentemente, o dinheiro pela Hudgens Gems foi depositado em nossa conta bancária ontem à noite, e hoje, logo cedo, seu pai liquidou a hipoteca. Não entendo o que está acontecendo, mas seu pai diz que tudo foi resolvido. Isso não é maravilhoso, querida? — Sua mãe sorriu.
— Sim, é maravilhoso — concordou Vanessa.
Por que Zac fizera aquilo?, perguntou-se. Ela lhe ferira o orgulho chamando-o de mentiroso? Vanessa queria lhe devolver o dinheiro, mas Carlton House estava salva, sua mãe sorrindo de novo, e isso era tudo que importava.
— Como está papai?
— Aliviado... e descansando. Ele admitiu que não dorme bem há meses. — Gina suspirou. — Tenho outra notícia. Tia Georgina faleceu dormindo dois dias atrás. Ela tinha 92 anos, você sabe, embora dissesse a todos que tinha 87.
Charlie entrou na sala, o rabo alto, e pulou no colo de Vanessa, ronronando alto quando ela enterrou o rosto em seu pelo macio.
Gina acariciou-lhe o ombro e pegou uma caixa de lenço de papel.
— Sinto muito, querida. Sei o quanto gostava de sua tia — murmurou ela, inconsciente que as lágrimas de Vanessa não eram apenas por sua tia, mas pelo grego enigmático que lhe roubara o coração.
_______
Uma semana depois, Vanessa olhava para o cheque sobre a mesa à sua frente. Então, ergueu os olhos para o advogado idoso, Harold Wimbourne, os olhos arregalados em choque.
— Eu não tinha ideia de que tia Georgina fosse tão rica.
— A Sra. Prentice era uma investidora perspicaz no mercado de ações — explicou o advogado, e adicionou em tom conspiratório: — Acredito que ela também fez uma fortuna apostando nos cavalos. Sua tia lhe deixou o apartamento em Pimlico, e diversos outros bens detalhados no testamento. Também estabeleceu um fundo fiduciário para que você recebesse após a morte dela. Como consignatário do fundo, é meu dever lhe entregar o cheque. — Ele riu. — Percebo que isso foi um choque. Suponho que você ainda não tem ideia do que quer fazer com o dinheiro?
Ela sorriu para Harold.
— Na verdade, sei exatamente o que vou fazer com o dinheiro. Posso gastá-lo imediatamente?
— Oh, sim, é todo seu, minha querida. Eu a aconselharia a investir, mas tenho certeza de que Georgina queria que você se divertisse.
Vanessa não imaginava o dia que se divertiria novamente, mas estava grata por sua tia ter lhe dado meios de restaurar um pouco de seu orgulho. Imediatamente, enviou um cheque a Zac com a metade do valor que ele pagara pela Hudgens Gems, garantindo que lhe enviaria o restante assim que vendesse o apartamento.
Você pagou pelo meu corpo e me tratou como sua prostituta, mas agora estou comprando meu auto-respeito de volta, escreveu furiosamente. Algum dia você será capaz de recuperar o seu, Zac?
Mas ele não a tratara como prostituta, reconheceu honestamente, conforme as semanas passavam e a dor de perdê-lo crescia a cada dia. Tinha aceitado que ela não soubera que Austin era casado; consequentemente, não fazia sentido que se vingasse e a enganasse... especialmente quando, um dia depois que Vanessa partira, ele pagara seu pai pela Hudgens Gems.
Talvez ela tivesse sido muito precipitada recusando-se a ouvi-lo? Mas tivera tanto medo de ser enganada mais uma vez. E então ele confessara que só a convidara para ir à Antigua porque queria uma parceira sexual conveniente. Vanessa enganara a si mesma acreditando que pudesse existir um relacionamento mais profundo entre os dois, e o coração despedaçado agora era sua própria culpa.
Zac observou a chuva no para-brisa do carro e perguntou-se quanto tempo mais teria de ficar sentado do lado de fora da casa de Vanessa, esperando-a voltar. Permaneceria ali pelo resto de sua vida, pensou, mas, quando consultou o relógio e viu que nem cinco minutos haviam se passado desde a última vez que checara, sua frustração aumentou.
Ele tinha recebido o cheque dela uma semana atrás, o qual estava no seu bolso até hoje... juntamente com o bilhete questionando se ele seria capaz de recuperar seu auto-respeito. Ficara furioso na noite da festa do Artemis, quando ela o acusara de tê-la enganado sobre comprar a Hudgens Gems. Furioso que Vanessa não confiara nele. Porém, mais tarde, quando havia se acalmado, concedera que fizera pouco para ganhar a confiança dela. Acreditara em todas as mentiras do jornal e forçara-a a se tornar sua amante sem lhe dar a chance de se defender. Tratara-a de modo imperdoável, pensou. Provavelmente estava perdendo tempo lá, mas descobrira, durante as últimas duas semanas, quando não podia trabalhar ou dormir, que tinha muito tempo para perder.
Uma figura entrou em seu campo de visão, a cabeça abaixada contra a chuva, os cabelos castanhos instantaneamente reconhecíveis. Ela perdera peso, ele notou. Parecia frágil, até mais linda do que a mulher que não saía de sua cabeça pelas últimas duas semanas. Ansiava envolvê-la nos braços, e seu corpo reagiu com desejo, mas ele ignorou o ardor físico. Havia coisas que precisava dizer, e, desta vez, estava determinado a fazer com que Vanessa o ouvisse.
Vanessa pôs a sacola do mercado sobre a mesa da cozinha e afastou os cabelos molhados dos olhos. Então, abriu um pacote de ração de gatos.
— Pelo menos um de nós tem apetite — murmurou quando Charlie circulou seus tornozelos.
A campainha tocou e ela gemeu, tentada a ignorar. Devia ser uma de suas amigas, querendo consolá-la de sua depressão recente. Elas tinham boas intenções, mas Vanessa preferia ficar sozinha.
A campainha tocou de novo, e, praguejando, ela foi abrir a porta da frente.
— Olá, Vanessa.
A voz grave com sotaque a fez se sentir num carrossel, girando e girando cada vez mais rapidamente. Foi um alívio quando caiu na escuridão.
Ela abriu os olhos para se encontrar deitada no sofá, o rosto furioso de Zac a centímetros do seu, enquanto ele estava agachado ao seu lado.
— Theos, por que você não tem comido? — demandou ele.
— Eu como — mentiu ela, forçando-se a se sentar, aliviada pelas paredes não estarem mais girando.
— Você está magra demais — insistiu ele — e muito pálida. Há sombras sob seus olhos.
— E daí? Não tenho dormido bem. — Ela preferia morrer a admitir que estava sofrendo por ele. — Tenho tido pesadelos — acrescentou, inclinando o queixo. — Por que você está aqui, Zachary?
Ele se levantou, mas sentou-se no sofá a seu lado... tão perto que ela estava consciente da coxa musculosa pressionada contra seu jeans.
— Primeiro, quero uma resposta — disse Zac friamente. — Você está grávida? Não usei proteção quando fizemos amor na praia de Santorini — acrescentou quando ela o olhou, assustada.
Vanessa tomou sua decisão num segundo.
— Não — negou, rezando para que ele não ouvisse o tremor em sua voz.


Hello girls.... 
Acabei me esquecendo de postar mais cedo pois hj foi dia de acordar atrasada hehehehe
Uau a tia da Vanessa era rica?
Será que a Nessa ta grávida?
Deixe nos comentários sua opinião!
E comentem bastante pq hj apesar de meu aniversario quero muito dar de "presente" a vcs o penúltimo capítulo!
Então beijooos 😘
E até mais....


domingo, 12 de fevereiro de 2017

Capítulo 26

— Minha mãe telefonou para me dizer que o banco tomou posse de Carlton House — Vanessa disse a Zac. — Os oficiais irão despejá-los amanhã.
Ele franziu o cenho.
— Bancos geralmente não emitem uma ordem de despejo a menos que haja sérios atrasos na hipoteca de uma propriedade.
— Papai não paga as prestações de Carlton há meses — disse Vanessa. — Todo o dinheiro dele estava na companhia. Eu lhe disse tudo isso. Você sabia que meus pais corriam o risco de perder a casa.
— Não pensei que isso fosse tão iminente.
— Não... suponho que você pensou que poderia me manter por mais um tempo antes de revelar o patife mentiroso que é. — Vanessa ignorou a expressão raivosa de Zac. — Meu pai informou ao banco que a Vantage ia comprar a Hudgens Gems, e que, assim que os papéis fossem assinados, ele pagaria a hipoteca de Carlton House. Mas, quando o banco contatou Vantage, eles foram informados de que nenhuma venda ocorreria. Dez minutos atrás, falei com Mark Lloyd na Vantage, que confirmou que a compra foi vetada pelo dono de Efron Enterprises... em outras palavras, por você.
No silêncio que seguiu sua acusação, o fato de ele não negar foi como uma faca atravessando o coração de Vanessa.
— Você destruiu a vida de meus pais, e eu nunca irei perdoá-lo — declarou ela, a voz tremendo de emoção.
Zac se aproximou, mas parou abruptamente quando ela se afastou.
— Você está tirando conclusões precipitadas — disse ele. — Se me der uma chance de explicar...
— Do mesmo jeito que permitiu que eu me defendesse das acusações de ter roubado Austin Butler de sua irmã — interrompeu ela, furiosa. — Você se recusou a me ouvir, e, em sua busca por vingança, exigiu que eu me tornasse sua amante. Todavia, pior de tudo — disse Vanessa, lágrimas escorrendo pelo rosto —, você mentiu para mim.
— Ouça-me — murmurou ele com firmeza. — Admito que logo que eu a trouxe para Grécia não tinha intenção de ajudar seu pai a sair do buraco financeiro. Minha irmã sofreu ferimentos horríveis, e, como sabe, acreditei que você fosse em parte responsável pelo acidente. Os jornais estavam cheios de histórias sobre seu gosto por roubar maridos alheios, e eu queria machucá-la, como acreditava que você tinha machucado Ashley... — O celular dele tocou. Praguejando, Zac atendeu: — Irei em cinco minutos. Diga à equipe do bar para servir mais champanhe aos convidados.
Ele passou uma mão pelos cabelos e olhou para Vanessa.
— Tudo isso mudou quando eu a levei para cama. Sexo com você foi uma experiência incrível. Eu não conhecia um prazer tão intenso antes — admitiu ele. — E, quando descobri que você era virgem, que eu a tinha julgado de modo errado, liguei imediatamente para Steven Holt, dizendo que eu havia mudado de ideia e queria que a Vantage procedesse com a compra da Hudgens Gems.
Vanessa lembrou-se do telefonema que fizera antes que Zac entrasse na suíte, e meneou a cabeça.
— Eu não acredito em você. Mark Lloyd deixou bem claro que a Vantage não tem planos de comprar a Hudgens Gems. Um de vocês está mentindo... e não acho que seja ele.
— Está me chamando de mentiroso? — Os olhos dele escureceram de raiva. — Não sei por que Mark Lloyd está envolvido — continuou sem esperar resposta. — Deixei instruções com Steven Holt. Obviamente houve algum mal-entendido.
Vanessa fechou a mala e abriu o colar de pérolas que ele pusera ao redor de seu pescoço.
— O sr. Lloyd disse que eu tinha cometido um engano, e ele está certo. Enganosamente, pensei que você fosse um homem de honra, mas é mentiroso e traidor, e espero nunca mais vê-lo enquanto eu viver.
— Theos, Vanessa. Você não pode estar falando sério. — Zac segurou-lhe o braço e virou-a de frente para si. — Fale a verdade. O acordo que fizemos quando você foi ao meu hotel em Londres um mês atrás é a única razão pela qual se doa de forma tão apaixonada noite após noite?
No silêncio que se seguiu, a voz de Mark Lloyd ecoou na cabeça de Vanessa. Não há e nunca houve nenhum acordo para comprar a Hudgens Gems.
Como seu coração podia ainda doer por Zac depois daquela traição?, perguntou-se ela. Mas não demonstraria isso.
— Que outra razão poderia haver? — demandou secamente. — Acreditei que você estava me pagando para ser sua amante.
Os olhos de Zac eram tão frios que ela deu um passo atrás.
— Devo lhe dar os parabéns por sua performance exemplar todas as noites — disse ele com ironia. — Talvez você deva considerar prostituição como uma nova carreira.
Vanessa fechou os olhos brevemente contra a dor que a atingiu.
— Tenho que ir. — Ela pegou sua mala e dirigiu-se à porta. — Preciso voltar para meus país.
Zac se aproximou.
— Não está esquecendo nada?
— Eu pus o colar sobre o criado-mudo. Você viu.
Ele sorriu como um lobo antes de atacar sua presa.
— Não o colar... o vestido.
— Oh. — Ela balançou a cabeça, sentindo-se tola. A velha saia e a blusa que separara para viajar... suas roupas... estavam sobre a cama. — Eu vou trocar de roupa no banheiro.
— Quero o vestido de volta agora.
O brilho nos olhos azuis avisava-a de que ele não teria compunção de rasgar o vestido de seu corpo. Vanessa sentia-se devastada por dentro, mas não o deixaria ver isso.
— O que é isso, Zachary? Excitação de último minuto? — perguntou ela sarcasticamente, enquanto punha as mãos para trás e descia o zíper. Ele devia saber que o vestido não requisitava um sutiã, mas Vanessa se recusou a desviar os olhos dele quando permitiu que o tecido de seda deslizasse até o chão.
Ele a olhou.
— Ambos sabemos que eu poderia tomá-la agora, e você não faria nada para me impedir.
Não fazia sentido negar aquilo quando seus mamilos estavam proeminentes, suplicando pelas mãos e boca dele. Mas ela deu de ombros.
— É verdade, você é fantástico em apertar os botões certos, Zachary.
Vanessa afastou-se e apressadamente vestiu sua saia e blusa. Nunca mais permitiria que ele a tocasse, nunca mais faria amor com ele e experimentaria o prazer indescritível que só conhecera com Zac. Com lágrimas nos olhos, foi para a porta, mas havia uma última coisa que precisava saber.
— Quanto tempo você antecipou que nosso relacionamento duraria depois da viagem para Antigua?
Zac olhou para as lágrimas escorrendo pelas faces dela e quis puxá-la para seus braços e beijá-la, até que Vanessa reconhecesse que o que eles haviam compartilhado no último mês era bom demais para jogar fora. Mas ela obviamente não pensava assim. Tinha ido para ele em Londres porque precisava do dinheiro para ajudar os pais, e, sem dúvida, concordara em ir para o Caribe porque apreciava os benefícios associados a ser amante de um milionário. Não era melhor do que Sami ou que as incontáveis mulheres que viam sinais de dólares quando o olhavam.
— Eu não tinha planejado que durasse nada. Não gosto de compromisso — disse ele sardonicamente. — Algumas semanas de sol, mar e sexo é tudo que eu sempre quis de qualquer mulher, e você não é diferente.
— Entendo. — A pequena esperança em seu interior morreu, e Vanessa percorreu os olhos pelas feições esculpidas e corpo poderoso num terno preto impecável... antes que se virasse e saísse da vida dele.
Resultado de imagem para bandslam gif tumblr

Hello girls....
Desculpem-me pela demora em postar essa semana minha aulas na faculdade voltaram e foi uma correria que só...
Mas aqui está mais um capítulo!
So eu que to chocada?
A Vanessa não deveria cometer o mesmo erro do Zac... Devia deixar eles se explicar....
Gente do céu! O que é isso? O Zac devia ter feito ao contrário... Devia ter se declarado a Vanessa! Concordam?
Comentem bastante!
Nao sei se posto capitulo hj pq estou com problemas de energia onde moro (so consegui postar agora pq to na casa de um parente)
Bom mas de qlqr forma prometo que amanhã sem falta terá capítulo pela manhã!
Então desculpem mais uma vez e
Beijoooos 😘
Ate mais....

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Capítulo 25

— Mamãe? — Ela agarrou o telefone ao ouvir o som de soluços. — O que aconteceu?
— Oh, Nessa. Eu não entendo nada — gaguejou Gina, chorando. — Seu pai e eu voltamos de Cornwall hoje para encontrar uma carta do banco dizendo que eles tomarão posse de Carlton House. Seu pai admitiu que não pagou a hipoteca por causa dos problemas financeiros da Hudgens Gems, e estamos atrasados com as prestações. Ele ligou para algumas pessoas... Vantage alguma coisa ou... — Gina pausou para respirar. — Ele me garantiu que Vantage tinha concordado em comprar a Hudgens, e que teríamos o dinheiro para a casa. Mas quando acabou de falar com o diretor-executivo, estava pálido como um fantasma. Parece que Vantage nunca teve interesse na Hudgens. A companhia controladora... seja lá o que isso significa... recusou permissão para a compra. Seu pai já havia assegurado o banco que Vantage ia comprar a Hudgens Gems, e que ele quitaria a hipoteca imediatamente. Mas o banco checou com a Vantage, e, quando eles descobriram que a venda não ia acontecer, cancelaram o empréstimo sobre Carlton. — A voz de Gina falhou. — Quando seu pai ouviu isso, sofreu um colapso.
— Como assim, um colapso? — perguntou Vanessa, tremendo. — Mamãe...
— Ele está bem — sua mãe a tranquilizou. — Hobson chamou uma ambulância, e seu pai fez diversos exames no hospital, mas todos os resultados foram bons. Eles disseram que ele está sofrendo de estresse extremo. Van, não sei o que fazer. -
Sua mãe chorou, e o medo na voz dela cortou o coração de Vanessa.
— Oficiais estão vindo amanhã ao meio-dia para nos despejar, e irão se apropriar de quaisquer coisas que ainda estiverem na casa. Nem sei por onde começar a empacotar. Nossa vida inteira está nesta casa.
— Mamãe, você não precisa empacotar nada — disse Vanessa rapidamente. — Houve algum engano. Vantage Investments definitivamente concordou em comprar a Hudgens. Estou em contato com alguém da companhia controladora... Efron Enterprises. — Ela fechou os olhos, imaginando o que sua mãe diria se soubesse o quão íntimo era seu contato com Zac. — Não chore. Eu resolverei tudo, certo? E depois irei para casa.
Aquilo devia ser um engano, pensou freneticamente enquanto pegava a mala e jogava seus pertences dentro. Um mal-entendido entre o banco e a Vantage parecia a explicação mais provável. Vanessa respirou fundo, tentando se acalmar. Explicaria a situação para Zac, e ele resolveria o problema.
A menos que ele fosse o problema? Não, isso era impossível, refletiu. Eles haviam feito um acordo, e Zac prometera comprar a Hudgens Gems. Seu relacionamento com Zac não era mais baseado no desejo dele de vingança, e não havia razão para que ele quebrasse uma promessa. Confiava nele, assegurou a si mesma quando pegou sua bolsa, desesperada para descer ao saguão, onde Zac a esperava.
Mas não podia negar o pressentimento que a dominava e, após um momento de hesitação, voltou a entrar no quarto. A probabilidade de que o diretor-executivo da Vantage, Steven Holt, ainda estivesse no escritório numa sexta-feira à noite era remota, mas, se ela pudesse falar com ele primeiro...
Uma mulher atendeu o telefone.
— Sr. Holt não está disponível, mas vou passá-la para Mark Lloyd.
Cinco minutos depois, uma voz masculina impaciente interrompeu a explicação frenética de Vanessa.
— Srta. Hudgens, sou presidente da Vantage Investments e garanto-lhe que não estou enganado. É verdade que tivemos interesse em comprar sua companhia, mas a ideia foi vetada por nossa companhia controladora, sob ordens diretas do dono da Efron Enterprises.
— Mas o Sr. Efron me prometeu... — insistiu Vanessa desesperada. — O senhor deve estar enganado.
— Acho que vai descobrir que você está enganada — disse a voz do outro lado da linha. — Não há e nunca houve nenhum acordo para comprar a Hudgens Gems. Agora, está tarde, Srta. Hudgens, e eu gostaria de ir para casa. A menos que haja mais alguma coisa...
— Não... nada mais. — Vanessa forçou as palavras. — Obrigada por esclarecer a situação, sr. Lloyd.
Vanessa desligou e sentou-se na cama. O quarto estava girando. Certamente ela não ia fazer algo melodramático como desmaiar? Uma onda de náusea veio em seguida. Não podia desmaiar; tinha de voltar para Carlton House antes que os oficiais jogassem seus pais na rua.
Passos soaram no piso de mármore e a porta do quarto se abriu.
— O que está acontecendo? — demandou Zac, estreitando os olhos para o rosto pálido dela. — Por que você não desceu? Os convidados estão reunidos no saguão, esperando que a festa comece, e quero você ao meu lado. Qual é o problema? — Ele lembrou-se do gemido angustiado que ouvira ao entrar na suíte. — Você está doente?
A dor no coração de Vanessa era pura agonia... mas talvez houvesse uma explicação simples para a notícia que acabara de ter, pensou. Lentamente, levantou-se da cama e o encarou.
— Diga-me, Zac, você algum dia pretendeu comprar a Hudgens Gems? Ou me trouxe para Grécia e fez de mim sua amante... permitindo que eu acreditasse que os problemas de meu pai estavam resolvidos... enquanto, o tempo todo, sabia que ordenara Vantage Investments a não proceder com a compra?
Por um segundo, alguma coisa indefinível brilhou nos olhos azuis, antes que a máscara caísse e a expressão de Zac se tornasse inescrutável. Mas a pequena hesitação dissera tudo a Vanessa, e seu coração estraçalhou.
Tola, murmurou uma voz interior. Sete meses atrás, tinha acreditado que Austin Butler a amava. Tinha confiado totalmente nele, que a enganara, e ela jurara não dar seu amor ou confiança tão facilmente de novo. Mas lá estava, com outro homem, em outro quarto de hotel, absolutamente destruída pela percepção de que Zac mentira. Quando aprenderia que os homens a abandonavam, ou a enganavam e mentiam, e que não valiam a mágoa que causavam?, perguntou-se amargamente.

Resultado de imagem para choro gif tumblr

Hello girls....
Chocada! 😱
Será que o Zac foi capaz de uma baixaria dessas?
E agora?
Comentem ai...
Beijooos 😘
Ate qlqr hora...

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Capítulo 24

— Isso parece ótimo — sussurrou contra os lábios de Zac. — Talvez eu possa ajudá-lo a relaxar?
Ele riu.
— A última coisa que fico quando estou com você, ágape, é relaxado. — Sério, agora, ele a olhou. — Irá comigo?
Vanessa ignorou a sensação de que estava prestes a se jogar de um penhasco e assentiu.
— Sim.
Zac a beijou carinhosamente, antes de erguê-la nos braços e murmurar:
— Você está muito linda, ágape mou, mas também com muita areia. Nós precisamos nadar. Ele a carregou para o mar, rindo enquanto a abaixava na água cristalina, antes de fazer amor com ela mais uma vez.
_______
Zac estava apoiado sobre um cotovelo, observando o sol da manhã brilhar nos cabelos de Vanessa contra os travesseiros. Os cílios longos batiam nas faces e a expressão era serena. Seu anjo adormecido, pensou ele, tomando por uma estranha sensação. Mas os sentimentos que Vanessa lhe despertava estavam longe de ser religiosos, e ele não pôde resistir em afastar o lençol, de modo que a luz do sol brilhasse sobre os ombros delgados e seios firmes. Seus dedos trilharam um caminho pelo estômago reto, descendo para o triângulo que escondiam a feminilidade. Ela era incrivelmente linda, e Zac enrijeceu no momento em que deslizou uma mão entre as coxas perfeitas e as entreabriu gentilmente.
— Zac? — Vanessa abriu olhos sonolentos.
— Quem mais você estava esperando?
O sorriso dela roubou-lhe o fôlego.
— Você. Somente você.
Eles começaram a se beijar e a se acariciar com movimentos lentos e sensuais, mas alguma coisa estava martelando no cérebro de Vanessa.
— Zac! A festa!
— Ainda não está na hora, ágape. Prometo deixá-la levantar-se até lá.
— Mas há coisas a fazer...
Ela perdeu o fôlego quando ele abaixou a cabeça e provocou-lhe as dobras aveludadas com a língua. Instintivamente, abriu mais as pernas, gemendo quando Zac fechou os lábios sobre o ponto sensível de seu clitóris. Excitação a percorreu, e Vanessa arfou de prazer, desesperada para que ele continuasse as explorações, mas incapaz de calar a voz em sua cabeça que avisava que hoje era o dia da festa de inauguração do Artemis, e que planejara acordar ao amanhecer.
Freneticamente, enterrou os dedos nos cabelos dele.
— Mas, Zac, eu deveria...
Ele levantou a cabeça brevemente.
— Quer que eu pare?
— Sim. — Ela ergueu os quadris em súplica muda, gemendo quando a língua mergulhou entre suas dobras sedosas. — Não... não pare... não pare nunca.
Ela estava tremendo no momento em que ele cobriu-lhe o corpo com o seu e a penetrou com movimentos lentos e deliberados, demonstrando seu controle total.
— Isso é tudo que importa, Vanessa mou — murmurou Zac com o coração batendo descompassado.
Ficou chocado ao perceber que tinha falado a verdade. Sua necessidade de fazer amor com Vanessa era mais importante do que seus negócios, do que a festa iminente para inaugurar seu novo hotel... até mesmo mais importante do que sua irmã, reconheceu. Theos, o que estava pensando? Mas sua capacidade de racionalizar estava se dissipando, e tinha apenas consciência dos corpos de ambos e do caminho para a ansiada liberação.
Vanessa segurou-lhe as nádegas e ergueu-lhe os quadris, aumentando o ritmo dos movimentos até fazê-la gritar.
— Vanessa. — Com um gemido gutural, ele estremeceu, onda após onda de prazer o percorrendo, até que tombou sobre ela e fechou os olhos, perguntando-se por que seu coração parecia doer cada vez que ele a tornava sua.
Depois, Zac a abraçou, acariciando-lhe os cabelos. Ela poderia ficar o dia inteiro ali, pensou Vanessa sonhadoramente. Mas a festa do Artemis era importante para ele, e ela queria que fosse perfeita.
— Agora vou deixá-la trabalhar — murmurou ele com um sorriso e um beijinho nos lábios.
— Obrigada, senhor gentil — brincou ela, antes de atravessar o quarto para o banheiro.
— Já decidiu o que vai vestir esta noite?
Vanessa pausou e olhou para trás.
— Eu não vou à festa. Não posso. Haverá uma grande cobertura da mídia, e não quero arriscar ser fotografada com você. Como explicaria minha presença a Ashley? Isso seria... estranho. — Ela mordiscou o lábio, nervosa pelo silêncio absoluto dele. — Vou me assegurar de deixar tudo preparado, e, esta noite, Ana lidará com quaisquer problemas de última hora.
Zac a olhou por um longo momento.
— Ashley é minha responsabilidade — falou finalmente. — Você irá à festa como minha companheira. Isto é uma ordem, Vanessa — acrescentou quando ela abriu a boca para protestar. — Você fez todo o trabalho, e esta é a sua noite, tanto quanto minha. — Zac levantou-se da cama e saiu do quarto, reaparecendo segundos depois com uma caixa na mão. — Eu comprei isto para que você use esta noite.
Vanessa o olhou assustada, então abriu a tampa da caixa para revelar um vestido de seda cor de marfim. Com dedos trêmulos, removeu-o da caixa e arfou ao segurá-lo contra o corpo.
— Oh, Zac... é lindo. — O vestido era espetacular: longo, de seda, coberto com camadas de chiffon e ornado com cristais e pérolas em suas alcinhas estreitas e ao redor do decote redondo. — É um vestido de conto de fadas — sussurrou ela, abaixando o olhar para esconder as lágrimas.
Ele segurou-lhe o queixo e ergueu-lhe o rosto para o seu.
— Esta noite você será minha princesa, ágape mou.
O sorriso dela o desarmou, antes que Vanessa se colocasse na ponta dos pés e lhe roçasse os lábios com os seus num beijo dolorosamente doce. Eles precisavam conversar, reconheceu Zac enquanto ela ia para o banheiro. Havia coisas que ele precisava lhe dizer. Mas não podia se esquecer dos termos originais do acordo, e imaginou se era um tolo em ter a esperança de que seu dinheiro não fosse o único motivo pelo qual ela se entregava todas as noites com uma paixão que lhe tocava a alma.
Vanessa estava confiante de que todos os preparativos que fizera nas últimas três semanas garantiriam que a festa de inauguração seria um sucesso, mas, como temera, ainda havia problemas inesperados que requisitavam sua atenção. Ela passou o dia dando telefonemas de última hora, organizando a cobertura da mídia e tentando atender as exigências das celebridades convidadas. Era fim da tarde quando retornou à suíte, e, depois de um banho rápido, secou os cabelos e aplicou uma maquiagem leve, antes de colocar o vestido que Zac escolhera para ela.
Era de uma butique famosa e devia ter custado uma fortuna. Vanessa sentia-se desconfortável que ele gastasse tanto, quando já estava pagando uma grande soma pela Hudgens Gems... mas ele fizera questão do vestido, e ela queria agradá-lo, reconheceu.
A porta se abriu e Zac entrou no quarto, parando abruptamente quando ela virou-se para encará-lo.
— Você tira meu fôlego, ágape — disse ele, olhando-a de cima a baixo. Então, se aproximou e removeu uma caixinha de veludo do bolso do paletó. — Isto vai complementar o vestido com perfeição — murmurou, erguendo um colar de pérolas entrelaçadas com diamantes. — É um presente em agradecimento pelas horas de trabalho duro que você gastou organizando a festa.
— Zac, eu não posso aceitar isto — disse Vanessa quando ele a virou para o espelho. Olhou para o reflexo dos dois: o homem alto e impossivelmente bonito num terno preto, e uma mulher usando um vestido e um colar deslumbrantes. — Você não precisa me dar presentes. Eu gostei de trabalhar no Artemis.
— Mesmo assim, você merece um descanso. Eu terei de passar algum tempo lidando com problemas em meu hotel em St. Lucia, mas nossa viagem a Antigua é puramente de lazer... ou impuramente — acrescentou, os olhos brilhando com promessa sensual. — Admito que estou impaciente para tê-la só para mim, sem outras distrações, ágape mou.
Então, ele lhe deu um beijo tão doce que levou lágrimas aos olhos de Vanessa. Ela pensara que tinha imaginado a sensação de união entre os dois cada vez que faziam amor, e se chamara de tola por nutrir a esperança de que Zac a considerasse especial. Uma vez, ele dissera que amor era uma ilusão, mas as batidas erráticas do coração sob os dedos de Vanessa eram muito reais.
— Nós precisamos conversar — disse ele, olhando-a com intensidade.
— Mas não há tempo agora.
Como se para provar isso, alguém bateu à porta da suíte.
— É provavelmente Ana — disse Vanessa. — Vou apanhar minha bolsa.
O telefone sobre o criado-mudo tocou e ela atendeu, franzindo o cenho ao ouvir a mensagem da recepcionista.
— Tenho um telefonema da minha mãe — disse ela, intrigada, para Zac. Quando chegara a Mykonos, havia contatado seus pais para explicar que estava na Grécia com uma amiga por algumas semanas, e lhes dera o telefone do Artemis. Uma sensação inexplicável de medo instalou-se em seu estômago. — Espero que ela esteja bem.
— Eu vou descer com Ana enquanto você atende. — Zac andou em direção à porta. — Não temos de receber os convidados antes de vinte minutos.
Vanessa observou-o sair do quarto e fechar a porta.

Resultado de imagem para telefone gif tumblr

Hello girls....
Como prometido eu voltei!
O clima entre Zanessa está tão maravilhoso ne!?
O que será que aconteceu pra mãe da Vanessa ligar do nada? Será que ela piorou da doença? #medo
Comentem ai....
Beijooos 😘😘
Até mais....